O que é o GRE?

 

O Graduate Record Examination (GRE®), foi criado pela ETS e é usado por várias de escolas de pós-graduação e de negócios como parte no processo de admissão de seus alunos. Muitos programas de pós-graduação requerem pontuações mínimas no GRE General Test (nota final do exame), e alguns também exigem ou recomendam pontuações mínimas em partes específicas da prova (GRE Subject Tests).

Onde é aceito?

Atualmente cerca de 250 escolas de negócios, incluindo instituições renomadas como Stanford, MIT (Massachusetts Institute of Technology) e Johns Hopkins exigem o GRE como parte do seu processo de admissão. E, desde agosto de 2017, a USP (Universidade de São Paulo) incluiu o GRE como parte do processo de seleção para 48 cursos de pós-graduação da universidade.

Como é a prova?

 

A prova é dividida em três seções: verbal (verbal), quantitativa / matemática (quantitative) e escrita analítica (analytical writing) e uma seção experimental, uma seção a mais que poderá ser de verbal ou matemática e que o candidato só descobrirá após o inicio do teste. O GRE examina o vocabulário do nível universitário e o raciocínio verbal, conceitos básicos de matemática em aritmética, álgebra e geometria e suas habilidades de escrita e analítica. Do começo ao fim o exame levará 3 horas e 35 minutos.

Qual o formato da prova?

O GRE® é um teste computadorizado em que é possível navegar entre as questões de uma mesma seção. Todos que realizam a prova passam por, pelo menos, duas etapas de matemática e duas de verbais. O nível de dificuldade da segunda seção (fácil, médio ou difícil) em cada assunto é determinado pelo seu desempenho na primeira seção. Se você acertar muitas respostas na primeira seção, você terá uma segunda seção mais difícil, porém com possibilidades de obterá pontuações mais altas. Se você não tiver muitos acertos na primeira seção, você terá uma segunda seção mais fácil e seu potencial de pontuação será limitado.